Lucratividade nem sempre significa aumento nas vendas

inundaweb_impostos_e-commerce_remarketing-lojas-on-line

Todo o negócio de compra e venda, atacado e varejo, comércio físico ou eletrônico tem uma característica em comum: a busca pela lucratividade. A primeira ideia que vem à cabeça é vender, vender, vender e quanto mais vender mais lucro para o comerciante. Parece lógico e faz muito sentido, mas não são só as vendas que farão do negócio um sucesso, principalmente para lojas virtuais. Entram na conta os custos com manutenção, investimento em propaganda, promoções e marketing.

É constatado por pesquisas do Instituto Gartner, e quem é do ramo do marketing sabe muito bem disso, que é cinco ou doze vezes mais caro conquistar um novo cliente do que fazer com que um cliente antigo retorne ao estabelecimento, ou seja, faça uma nova compra, indique a loja em sua rede social e gere marketing espontâneo (no caso do e-commerce). Com essa informação, queremos fazer um alerta aos administradores de lojas on-line: vocês estão investindo da maneira certa? Não serve para nada lutar e investir recursos para aumentar as vendas se, nas contas, a empresa está levando prejuízo com elas no final do mês. Se isso acontece, fatalmente a loja virtual está seguindo rumo ao fracasso e já passou da hora de agir.

SEO e publicidade
Normalmente, a ação de marketing está voltada para a expansão das vendas e aumento do faturamento, por meio de publicidade, promoções e SEO. Isso é perfeitamente aceito, mas não significa lucro, pois a conta faturamento menos o investimento tem que ser um número positivo, ou seja, a receita tem que ser maior do que os custos em sua totalidade.

Lojas virtuais
Resumindo, se as lojas virtuais não forem visitadas, o retorno em compras será insignificante e o negócio quebra. Para o e-commerce dar certo, o tráfego precisa ser alto e o administrador tem que identificar em que tipo de definição de loja ele se enquadra e, com a consciência de como anda o negócio, traçar a estratégia de marketing a ser adotada a longo e médio prazos. Na maioria das vezes, é muito melhor investir em REMARKETING, ou seja, no aprouche com o cliente que já comprou e conhece a marca. Destacamos quatro definições básicas de loja:

  • Lojas que não investem em publicidade ou investem pouco. O tráfego é baixo, o que acarreta poucos pedidos.
  • Investem em publicidade de vez em quando, portanto, é de vez em quando que recebem tráfego e pedidos.
  • Lojas que fazem marketing constantemente com o objetivo de angariar novos clientes, deixando os antigos de lado.
  • Lojas virtuais que sempre fazem publicidade e promoções, investem em divulgação de produtos, ofertas e tem como foco os seus próprios clientes.

Não lhes parece que a quarta opção é a mais sensata? Mantendo o carinho e uma boa relação com antigos clientes, é mais do que óbvio que surgirão novos clientes muito interessados em se relacionar com a marca. Com esse tipo de estratégia, há uma incrementação constante da base de dados de cadastro para as futuras ações de promoção e a recompra aparecerá com muito mais frequencia. O remarketing é uma opção excelente para o e-commerce e o aumento real da lucratividade vai estar na ponta do lápis.

Pense nisso ao planejar a sua loja virtual e conte com a Inundaweb para orientá-lo a respeito das possibilidades de investimento no mundo digital.

Alex Calderari

Alex Calderari

Os comentários estão desativados.

Respeitamos sua privacidade, NUNCA enviamos spam!