Mobile commerce continua crescendo. Saiba por que investir.

//E-commerce//Marketing Digital | por | 7 de Março de 2016

A profusão de dispositivos mobile no mercado, e suas diversas utilidades, faz com que o consumidor não fique mais preso ao desktop. Tão presente no dia-a-dia, realizar tarefas, trabalhos e compras pelo celular é uma opção muito mais cômoda para o consumidor. Assim o crescimento no número de compras on-line que são finalizadas nestes dispositivos não é surpresa.

mobile-devices-inundaweb

 

Segundo o estudo realizado pela ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) no final de 2015 e publicado em janeiro, a quantidade de compras on-line finalizadas em dispositivos mobile saltou de 13% no final de 2014 para 19% em dezembro de 2015. Espera-se, ainda, que ao final de 2016 este número chegue a 30%.

 

O acesso a lojas virtuais por mobile também cresceu, atingindo 32% do total de acessos. Até 2018 mais da metade do acesso ao e-commerce será feito por meio de celulares, tablets e afins, diz a pesquisa.

Percebe-se também neste cenário o crescimento do Cross-channel, o acesso do canal de compras por meio de diversos dispositivos durante o ciclo de compras, como apontou o estudo da Criteo. Pelo menos 55% dos consumidores que finalizaram sua compra pelo desktop ou laptop acessaram a página de compras por algum outro dispositivo. E dos consumidores que utilizaram mobiles para finalizar o pedido, de 59% a 60% fizeram uso de outro mobile device.

mobile devices

 

Os usuários que fazem uso de vários dispositivos durante seu ciclo de compras são três vezes mais inclinados a finalizar o pedido por um mobile do que usuários que utilizam apenas um canal.

Outro aspecto que o estudo da Criteo levantou foi a participação dos apps no cenário global de transações. Varejistas que investiram neste serviço viram 58% do transito gerado por mobiles vir dos apps. Foi levantado que aplicativos convertem 3,7 vezes mais que os demais mobile browsers. E, apesar dos mobiles comuns gerarem menos retorno financeiro que transações realizadas em desktops, clientes que fazem uso de aplicativos consumem mais do que os que finalizam sua compra no desktop. A praticidade e segurança, além da experiência visual, que aplicativos transmitem ao cliente tornam a compra mais atrativa.

 

Estes dados demonstram a grande necessidade do comerciante se preparar e oferecer um site responsivo a este consumidor plural, além de serviço como o app. O site responsivo adapta seu layout as proporções de cada dispositivo, oferecendo uma experiência visual e usabilidades otimizadas. Este recurso converte mais clientes ao e-commerce, atraindo também estes usuários multi-canais.

 

Para tal, o e-commerce que quer crescer no cenário atual precisa conhecer seu público e se adaptar às suas necessidades, disponibilizando serviços personalizados.

Jessica Beker

Jessica Beker Estudante de comunicação organizacional, produtora de conteúdo na Inundaweb, gamer, ativista social e tenta cozinhar de vez em quando.

Respeitamos sua privacidade, NUNCA enviamos spam!